Equipe de programadores testando estratégias de SEO e experiência da página

Experiência da página: novo fator de classificação do Google

Navegue por tópicos!

Um equívoco comum dos profissionais de SEO é trabalhar a otimização de sites e e-commerces pensando apenas em atender aos requisitos do Google. 

Em muitos casos, os especialistas de agências se esquecem de priorizar a experiência do usuário e a experiência da página. Porque o buscador leva em conta esses aspectos ao criar seus fatores de ranqueamento.

Sendo assim, este artigo do Guia de SEO tem como objetivo abordar a experiência da página como novo fator de classificação do Google. Saiba, então, como isso funciona na prática! 

O que diz o Google sobre a importância da experiência da página em SEO?

Recentemente, o executivo do Google, John Mueller, afirmou que a atualização da experiência da página é considerada um fator de classificação de desempate dos sites na Serp do buscador. 

Afinal, é a experiência da página que incorpora os principais sinais vitais da web. Contudo, Mueller enfatizou que a atualização não será tão impactante como outras já feitas pelo Google.

Além disso, Mueller acrescentou, em entrevista ao Reddit, que a implementação de atualizações na experiência da página será lenta e pouco sentida, inicialmente. 

O que é a experiência de página do Google?

A atualização considera vários sinais que contribuem para a criação de uma experiência de navegação ideal para os usuários. 

A atualização anunciada pelo Google para este ano contempla alguns dos fatores mais relevantes de SEO. 

Como isso funciona?

O Google avalia cada um dos sinais e, em seguida, dá a um site uma pontuação geral de “experiência da página”. Então, cada dono de site pode visualizar sua pontuação no novo relatório no Search Console.

Os sinais considerados atualmente são:

  • Core Web Vitals;
  • Usabilidade móvel: erros de usabilidade móvel não podem ocorrer, ou seja, os sites precisam ser responsivos (compatíveis com a versão móvel);
  • Problemas de segurança: Quaisquer problemas de segurança de um site desqualificam todas as páginas do site;
  • Uso de HTTPS: significa que a página oferece uma navegação segura;
  • Experiência de anúncio: um site não deve usar técnicas de publicidade que distraiam, interrompam ou não conduzam a uma boa experiência do usuário.

Outro sinal considerado são as alterações de layout. Assim, qualquer alteração deve proporcionar uma boa experiência de navegação para o usuário. 

Mudanças na avaliação da velocidade da página para SEO

A velocidade da página agora está usando Largest Contentful Paint (LCP) e First Input Delay (FID).

Em resumo, o LCP mede o desempenho de carregamento. Assim, em um site que fornece boa experiência para o usuário, o LCP deve ocorrer na faixa de 2,5 segundos logo que acontece o carregamento da página. 

Já o FID mede a interatividade: as páginas, portanto, devem ter um FID de menos de 100 milissegundos.

O Cumulative Layout Shift (CLS) é uma novidade. Essa métrica mede a estabilidade visual, tendo a faixa ideal inferior a 0,1 para que uma página ofereça boa experiência ao usuário. 

Como parte da atualização, o AMP (Páginas Móveis Aceleradas) não é mais um requisito para que as páginas apareçam no carrossel de notícias principais. 

Conclusão

Agora que você já sabe no que consiste a atualização da experiência de página, faça melhorias nos sinais que colaboram na experiência de página e conte com o trabalho de agências especializadas em SEO se necessitar!

Esperamos que este conteúdo do Guia de SEO tenha sido de grande ajuda! Continue acompanhando nosso blog e compartilhe esse artigo em suas redes sociais!